O que Fazer se meu filho Desapareceu?


Vc Sabia?

No Brasil não existem dados oficiais que determinem a quantidade de crianças e adolescentes desaparecidos anualmente, contudo, dos casos registrados, um percentual de 10 a 15% permanecem sem solução por um longo período de tempo, e, às vezes, jamais são resolvidos. Visando dar visibilidade a esta problemática a Secretaria Especial de Direitos Humanos, desde 2002, constituiu uma rede nacional de identificação e localização de crianças e adolescentes desaparecidos, com o objectivo de criar e articular serviços especializados de atendimento ao público e coordenar um esforço colectivo e de âmbito nacional para busca e localização dos desaparecidos. Hoje temos cadastrados no site .
1.247 casos de crianças e adolescentes desaparecidos no país. Desde sua criação já foram solucionados 725 casos, sendo que se constatou que uma das causas mais comuns de desaparecimento é a fuga do lar por conflito familiar.


O que Fazer se meu filho Desapareceu?

Os primeiros momentos após a constatação do desaparecimento de um filho (ou outro parente) é uma situação que provoca abalo emocional devastador na família. Apesar da dor e da confusão de sentimentos provocados pelo desaparecimento, é importante manter o domínio da situação, uma vez que as horas que se seguem ao desaparecimento são cruciais para encontrar o desaparecido.
A seguir, enumeramos algumas sugestões de como agir em caso de desaparecimento de criança (no entanto as recomendações se aplicam a qualquer desaparecimento).
I
Se seu filho ou outro parente desapareceu:
  1. Mantenha a calma, e procure a pessoa desaparecida na vizinhança, na casa dos amigos, na casa de parentes, e em locais que ela costuma frequentar, como quadra de exporte, centro comunitário e outros.
  2. Não encontrando a pessoa desaparecida comunique o fato imediatamente à polícia. No caso de crianças e adolescentes a polícia é obrigada a registrar a ocorrência e iniciar imediatamente as buscas (Lei 11.259/05).
  3. Procure apoio com um amigo ou parente que possa auxiliá-lo emocionalmente na organização da busca e outras providências.
  4. Divulgue ao máximo o desaparecimento, se possível, utilize rádio, jornal e televisão.
  5. Organize as informações sobre os últimos acontecimentos relacionadas à pessoa desaparecida que possam ser úteis na busca, como brigas, envolvimento afetivo, crença religiosa, amizades. Verifique cadernos escolares, agendas, computador, diário, para encontrar algum indício que possa auxiliar na busca.
  6. Faça um relato escrito do desaparecimento, para não esquecer no futuro detalhes que podem ser importantes.
  7. Evite manusear objetos pessoais do desaparecido, como pente, escova de dente, chupeta e brinquedos. Estes objetos podem ser utilizados para estudo do DNA, caso seja necessário..
  8. Procure os orgaos de proteçao ,tipo Delegacias de policias ,para Informar o desaparecimento
Fonte (1)


 Fonte Estatísticas Informações(2)


ORIENTAÇÕES AOS PAIS

Orientar os filhos a não aceitarem doces, presentes, ou qualquer outro objeto de estranhos, podendo aceitá-los de conhecidos e parentes, somente com prévio consentimento dos responsáveis.

Manter bom relacionamento com a vizinhança.

Procurar conhecer as pessoas que convivem com seu filho.

Participar altivamente dos eventos envolvendo o seu filho, como aqueles ocorridos em escolas e aniversários.

Ensinar ao seu filho o seu nome completo, endereço e telefone e os nomes dos pais e irmãos.

Não autorizar o seu filho a brincar na rua sem a supervisão de um adulto conhecido.

Evite deixar o seu filho em casa sozinho.

Providenciar a carteira de identidade do seu filho, através do Instituto de Identificação.

Faça com que as pessoas, que necessitam de atenção especial, que vivem sob sua responsabilidade tenham sempre consigo (no bolso ou gravado em uma medalha) seus dados de identificação.

Observe o comportamento do seu filho, ficando atento às possíveis mudanças.

Conheça o tipo sanguíneo e o fator RH da criança.

Seja amigo do seu filho, deixando-o à vontade para confidenciar-lhe os seus problemas ou vitórias.

ORIENTAÇÕES ÀS ESCOLAS

Não permita a saída de criança com pessoa não autorizada pelos responsáveis.
Observar o ambiente nas proximidades da escola, comunicando qualquer fato suspeito, imediatamente, à Polícia.

ORIENTAÇÕES AOS PROFISSIONAIS DA ÁREA DE SAÚDE

Observar, durante o atendimento, o comportamento dos responsáveis pelas crianças e, caso percebam alguma coisa estranha e dificuldades deles em prestar informações sobre o próprio filho, comunicar a suspeita à Polícia.

ORIENTAÇÕES ÀS INSTITUIÇÕES (ABRIGOS, HOSPITAIS)

Registrar os dados do menor ou adulto quando eles derem entrada na instituição. Quando tratar-se de pessoas sem identificação ou que, por algum motivo, pareça ser uma pessoa desaparecida entre em contado com a Polícia Civil.

DICAS DE SEGURANÇA

PARA TODAS AS PESSOAS

Nos passeios manter-se atento e não descuidar das crianças;
Procurar conversar todos os dias com os filhos, observar a roupa que vestem e se apresentam comportamento diferente;
Fique atento à mudança de comportamento de seu filho, pois isto pode indicar que o mesmo poderá fugir de casa;
Uma boa conversa com seu filho, pode livrar você de momentos de angústia e desespero;
Procurar conhecer todos os amigos do seu filho, onde moram e com quem moram;
Acompanhá-los a escola, na ida e na volta, e avisar o responsável da escola quem irá retirar a criança;
Colocar na criança bilhetes ou cartões de identificação com nome da criança e dos pais, endereço e telefone, orientar a criança quanto ao uso do cartão telefónico, bem como fazer chamadas a cobrar para pelo menos três números de parentes, e avisá-los desta orientação;
Não deixar as crianças com pessoas desconhecidas, nem que seja por um breve período de tempo, pois muitos casos de desaparecimento ocorrem nestas circunstâncias;
Fazer o mais cedo o possível a carteira de identidade no Instituto de Identificação do seu Estado;
Manter em local seguro, trancado e distante do alcance das crianças arma de fogo, facas, qualquer objeto ou produto que possa colocar a vida delas ou outras pessoas em risco;
Orientar as crianças a não se afastar dos pais e fiscalizá-las constantemente;
Ensiná-las a sempre que estiverem em dificuldade a procurar uma viatura policial, ou um policial fardado (PM ou Guarda Municipal), e pedir ajuda;
Evitar lugares com aglomeração de pessoas;
Perdendo a criança de vista, pedir imediatamente ajuda a populares para auxiliar nas buscas e avisar a polícia.


O MEU FILHO DESAPARECEU  QUE DEVO FAZER?
 
Em primeiro lugar, manter a calma;
Caso esteja sozinho, peça auxilio para que acionem imediatamente a polícia. Não existe prazo para comunicar o desaparecimento, faça-o imediatamente;
Manter alguém no local onde a criança foi vista pela última vez, pois ela poderá retornar ao local;
Deixar alguém no telefone indicado no cartão de identificação da criança, até para centralizar informações;

Avisar amigos e parentes, o mais rápido possível, principalmente os de endereço conhecido da criança, para onde ela possa se dirigir;

Percorrer os locais de preferência da criança;
Ter sempre a mão foto da criança;

Ter sempre em mente a vestimenta da criança para descrevê-la, procurando vesti-la com roupas detalhadas, de fácil visualização e identificação (cores berrantes, desenhos, etc…);
Procurar a Delegacia e Conselho Tutelar e pedir auxílio.

Motivos mais comuns de desaparecimentos

Repressão excessiva, excesso de controle;

Castigos excessivos e exagerados, desproporcionais ao fato. Ex: a criança comete uma pequena falta e leva uma surra;

Desleixo dos pais, a criança sente-se rejeitada e desprezada e foge para chamar a atenção;

Muitas das fugas do lar têm por motivos o mau desempenho escolar, as responsabilidades domésticas que são atribuídas a elas e até mesmo pequenos ofícios, como venda de doces e salgados;

O espírito aventureiro também é um dos grandes responsáveis pela fuga de crianças.

Subtração de incapaz (A criança é raptada para viver em outro lar)

Rapto consensual

Rapto por estranhos

CRIANÇAS E PESSOAS DESAPARECIDAS - COMO AJUDAR!

Observar o comportamento de novos vizinhos em relação ao tratamento dispensado ao menores que com eles convivem, comunicando à Polícia qualquer fato suspeito.

Observar, em via pública, o trânsito de menores desacompanhados, idosos e portadores de necessidades especiais, caso apresentem desorientação, possibilidade de extravio ou mesmo dificuldade de expressão, comunique o fato à Polícia para queprestem a devida assistência antes que ocorra o seu paradeiro. O ideal é que você possa levar a pessoa até o posto policial mais próximo.

Comunicar e registrar o desaparecimento do menor ou do adulto imediatamente após constatada a sua ausência, na Divisão de Referência da Pessoa Desaparecida. Deve-se apresentar fotografia e documentação do ausente, caso existente, para início da busca. Para o menor, é necessária a apresentação da cópia da certidão de nascimento. No entanto, a ausência do documento não impede o registro e a busca.

Caso ocorra o retorno voluntário do desaparecido ao lar, contatar a Divisão de Referência da Pessoa Desaparecida, comunicando o fato.

SITES OFICIAIS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES DESAPARECIDOS

Ministério da Justiça
www.desaparecidos.mj.gov.br
Crianças desaparecidas em SP
www.policia-civ.sp.gov.br/desap/desap_lista.asp?tipo=1&pagenumber=1
Crianças desaparecidas - RJ
www.fia.rj.gov.br/SOS.htm
Minas Gerais
www.desaparecidos.mg.gov.br

Paraná
www.pr.gov.br/policiacivil/sicride/criancas_desaparecidas.shtml
Rio Grande do Sul
www.desaparecidos.rs.gov.br/

Goiânia-GO
www.goiania.go.gov.br/html/sosdesaparecidas/sos.htm

O número nacional para informações sobre crianças desaparecidas é o Disque 100.

FONTE: SICRIDE E POLÍCIA DE MG, COM ADAPTAÇÕES DO BLOG DIGA NÃO À EROTIZAÇÃO INFANTIL.

Fonte (3)
CadernoRMulher- Sitio
           

Um comentário:

  1. um filho de um amigo meu fugiu de casa, mas ele tinha instalado o www.brunoespiao.com.br no celular dele antes disso acontecer, e graças a isso ele conseguiu encontrar o filho

    ResponderExcluir

Siga Me