O que e Anorexia E Seus Sintomas

O que é Anorexia?


Doença de fundo psicológico caracterizada por um transtorno alimentar - a pessoa não se alimenta. Em geral, acomete mulheres adolescentes. Entre os sintomas estão a magreza excessiva e a ausência der menstruação. Em casos extremos, a pessoa pode morrer.
Essencialmente é o comportamento persistente que uma pessoa apresenta em manter seu peso corporal abaixo dos níveis esperados para sua estatura, juntamente a uma percepção distorcida quanto ao seu próprio corpo, que leva o paciente a ver-se como "gordo". Apesar das pessoas em volta notarem que o paciente está abaixo do peso, que está magro ou muito magro, o paciente insiste em negar, em emagrecer e perder mais peso. O funcionamento mental de uma forma geral está preservado, exceto quanto a imagem que tem de si mesmo e o comportamento irracional de emagrecimento.
O paciente anorético costuma usar meios pouco usuais para emagrecer. Além da dieta é capaz de submeter-se a exercícios físicos intensos, induzir o vômito, jejuar, tomar diuréticos e usar laxantes.
Aos olhos de quem não conhece o problema é estranho como alguém "normal" pode considerar-se acima do peso estando muito abaixo. Não há explicação para o fenômeno mas deve ser levado muito a sério pois 10% dos casos que requerem internação para tratamento (em hostpital geral) morrem por inanição, suicídio ou desequilíbrio dos componentes sanguíneos.
Cabe aos familiares identificar o paciente anoréxico, pois ele não tem consciência da doença e não vai procurar ajuda por livre e espontânea vontade.

Como é o Paciente Com Anorexia?


O paciente anorético só se destaca pelo seu baixo peso. Isto significa que no seu próprio ambiente as pessoas não notam que um determinado colega está doente, pelo seu comportamento. Mas se forem juntos ao restaurante ficará evidente que algo está errado. O paciente com anorexia não considera seu comportamento errado, até recusa-se a ir ao especialista ou tomar medicações. Como não se considera doente é capaz de falar desembaraçadamente e convictamente para os amigos, colegas e familiares que deve perder peso apesar de sua magreza. No começo as pessoas podem até achar que é uma brincadeira, mas a contínua perda de peso apesar da insistência dos outros em convencer o paciente do contrário, faz soar o alarme. Aí os parentes se assustam e recorrem ao profissional da saúde mental.
Os pacientes com anorexia podem desenvolver um paladar estranho ou estabelecer rituais para a alimentação. Algumas vezes podem ser flagrados comendo escondidos. Isto não invalida necessariamente o diagnóstico embora seja uma atitude suspeita.
Depois de recuperado o próprio paciente, já com seu peso restabelecido e com a recordação de tudo que se passou não sabe explicar porque insistia em perder peso. Na maioria das vezes prefere não tocar no assunto, mas o fato é que nem ele mesmo concorda com a conduta insistente de emagrecer. Essa constatação no entanto não garante que o episódio não volte a acontecer. Depois de recuperados esses pacientes retornam a sua rotina podendo inclusive ficar acima do peso.
Há dois tipos de pacientes com anorexia. Aqueles que restringem a alimentação e emagrecem e aqueles que têm episódios denominados binge. Nesses episódios os pacientes comem descontroladamente até não agüetarem mais e depois vomitam o que comeram. Às vezes a quantidade ingerida foi tão grande que nem é necessário induzir o próprio vômito: o próprio corpo se encarrega de eliminar o conteúdo gástrico. Há casos raros de pacientes que rompem o estômago de tanto comerem.

A doença ocorre principalmente no início da adolescência, dos 12 as 19 anos, mas pode se manifestar em qualquer outra idade
São 10 mulheres para 1 homem anoréxico
Entre os pajcientes que buscam o tratamento de aneroxia, 50% se recuperam completamente, 30% têm cura parcial e outros 20% não respondem ao tratamento.
 
CONSEQUÊNCIAS  

Problemas psicológicos
Pele seca e amarelada por causa da desnutrição
Bradicardia (freqüência cardíaca baixa)
Arritmia cardíaca, causada pela deficiência de potássio
Problemas gastro-intestinais
Ausência de menstruação e infertilidade temporária por causa da diminuição dos hormônios femininos.
Pressão arterial baixa - menor que 8/5
Hipotermia (baixa temperatura corporal - menor que 35,5º C)
Desidratação ocasionada pela má ingestão de alimentos e líquidos. 


TRATAMENTOS  

De longa duração, exigem conjunto de psicólogos, nutricionistas e endocrinologistas Psicólogo. Ajuda o paciente a resgatar sua percepção do corpo, assim como seus desejos, valores e emoções. Neste estágio, ele aprende a respeitar e aceitar o seu corpo com mais tranqüilidade. Nutricional Recomposição alimentar. No auge da doença, a ingestão calórica é abaixo de 500 calorias diárias. Com a aceitação do paciente, o nutricionista vai acrescentando 300 calorias periodicamente. Endocrinológico Nesse caso, o doente repõe elementos nobres como vitaminas, cálcio, ferro, sais minerais e proteínas. Além disso, as mulheres fazem reposição hormonal para regular o ciclo menstrual.

Fonte de Pesquisa e Direitos Autorais:

(Momento Acredite se Quiser!) Assista e De Sua Opniao!!

(Momento  Acredite Se Quiser!) Assista e De Sua Opniao!!
Video Retirado do Yootube Fonte:

A Gravidez na Adolescência

A adolescência é uma fase bastante conturbada na maioria das vezes, em razão das descobertas, das ideias opostas às dos pais e irmãos, formação da identidade, fase na qual as conversas envolvem namoro, brincadeiras e tabus. É uma fase do desenvolvimento humano que está entre infância e a fase adulta. Muitas alterações são percebidas na fisiologia do organismo, nos pensamentos e nas atitudes desses jovens.

A gravidez é o período de crescimento e desenvolvimento do embrião na mulher e envolve várias alterações físicas e psicológicas. Desde o crescimento do útero e alterações nas mamas a preocupações sobre o futuro da criança que ainda irá nascer. São pensamentos e alterações importantes para o período.

Adolescência e gravidez, quando ocorrem juntas, podem acarretar sérias consequências para todos os familiares, mas principalmente para os adolescentes envolvidos, pois envolvem crises e conflitos. O que acontece é que esses jovens não estão preparados emocionalmente e nem mesmo financeiramente para assumir tamanha responsabilidade, fazendo com que muitos adolescentes saiam de casa, cometam abortos, deixem os estudos ou abandonem as crianças sem saber o que fazer ou fugindo da própria realidade.

O início da atividade sexual está relacionado ao contexto familiar, adolescentes que iniciam a vida sexual precocemente e engravidam, na maioria das vezes, tem o mesmo histórico dos pais. A queda dos comportamentos conservadores, a liberdade idealizada, o hábito de “ficar” em encontros eventuais, a não utilização de métodos contraceptivos, embora haja distribuição gratuita pelos órgãos de saúde públicos, seja por desconhecimento ou por tentativa de esconder dos pais a vida sexual ativa, fazem com que a cada dia a atividade sexual infantil e juvenil cresça e consequentemente haja um aumento do número de gravidez na adolescência.

A gravidez precoce pode estar relacionada com diferentes fatores, desde estrutura familiar, formação psicológica e baixa autoestima. Por isso, o apoio da família é tão importante, pois a família é a base que poderá proporcionar compreensão, diálogo, segurança, afeto e auxílio para que tanto os adolescentes envolvidos quanto a criança que foi gerada se desenvolvam saudavelmente. Com o apoio da família, aborto e dificuldades de amamentação têm seus riscos diminuídos. Alterações na gestação envolvem diferentes alterações no organismo da jovem grávida e sintomas como depressão e humor podem piorar ou melhorar.

Para muitos destes jovens, não há perspectiva no futuro, não há planos de vida. Somado a isso, a falta de orientação sexual e de informações pertinentes, a mídia que passa aos jovens a intenção de sensualidade, libido, beleza e liberdade sexual, além da comum fase de fazer tudo por impulso, sem pensar nas consequências, aumenta ainda mais a incidência de gestação juvenil.
É muito importante que a adolescente faça o pré-natal para que possa compreender melhor o que está acontecendo com seu corpo, seu bebê, prevenir doenças e poder conversar abertamente com um profissional, sanando as dúvidas que atordoam e angustiam essas jovens.
Creditos e Fonte de Pesquisa:

Por Giorgia Lay-Ang
Graduada em Biologia
Equipe Brasil Escola
Vc sabia:

No período em que a mulher tem um embrião dentro de si em desenvolvimento, seu organismo passa por alterações que se acentuam a cada dia de acordo com o desenvolvimento do bebê. Dentre todos os sinais que uma mulher percebe ao engravidar, a ausência da menstruação é a mais evidente.
A menstruação nesse período é evitada pelo hormônio produzido a partir da fecundação chamado gonadotrofina. Existem mulheres que apresentam uma menstruação mais leve no primeiro mês, ocorre quando o óvulo fertilizado se hospeda no revestimento uterino provocando tal sangramento.
Dentre os inúmeros sinais que evidenciam a gravidez podemos citar: enjôo, mal-estar, mamas inchadas e sensíveis, cansaço diário, pressão na bexiga, fadiga, aceleração dos batimentos cardíacos, ansiedade, estresse, prisão de ventre, fome em excesso, inchaço, irritabilidade, aumento da necessidade de urinar, aumento da secreção vaginal, rejeição a cheiros e outros.
Ao apresentar alguns destes sinais, a mulher deve procurar um médico para que seja realizado um exame de sangue para confirmar a condição e a partir desta confirmação, que também pode ser feita por um exame de farmácia, a mulher passa a seguir orientações médicas acerca da nutrição, exercícios físicos e de relaxamento. Sinais como sangramentos, dor de cabeça forte e persistente, tontura, cólicas, febre, calafrios, secreção vaginal anormal e outros devem ser relatados ao médico, pois tais sinais podem revelar alguma anormalidade no organismo materno ou no desenvolvimento do bebê. 

CREDITOS E FONTE DE PESQUISA:
Por Gabriela Cabral
Ultrassom

Ultrassom

Pré-Natal é o nome dado ao acompanhamento médico dedicado a mulher e ao bebê durante todo o período gestacional. Neste acompanhamento o médico dá instruções à futura mamãe, como cuidados com a alimentação, formas de se manter confortável, estimulação do bico do seio, polivitamínicos a serem ingeridos e outras bem como a realização de exames.

As consultas devem ser iniciadas o quanto antes para que sejam feitos os exames necessários que garantirão a saúde da gestante e do bebê bem como a detecção de alguma doença ou disfunção, se houver. Os exames identificam gestações normais e gestações de alto risco que assim é considerada quando apresentam alguma doença na mãe ou no bebê. Os exames solicitados são:
Hemograma completo;
Glicemia;
Tipagem sanguínea;
Urina;
Papanicolaou;
Sorologia para detectar ou não toxoplasmose e rubéola;
Avaliação de infecções para detectar ou não sífilis, hepatite B, AIDS.

No pré-natal, o médico também irá controlar o ganho de peso pela gestante que não deve ultrapassar 12 kg, pois o ganho excessivo de peso pode desencadear problemas como hipertensão, diabetes gestacional, retenção de líquidos e outros. A hipertensão é a causa mais freqüente de gravidez de alto risco, pois pode desenvolver pré-eclampsia e trazer complicações mais sérias que podem colocar a vida da mãe e do bebê em risco.

A gestante também deve fazer um pré-natal odontológico que auxiliará na sua higienização bucal e do bebê, já que neste período as motivações da gestante estão todas voltadas às preparações para a chegada do bebê. Neste período, a gestante sente muita indisposição e “preguiça” e algumas deixam de lado a escovação.

Por Gabriela Cabral
Equipe Brasil Escola
Veja mais!






Gravidez

Funk Cultura Lixo

O funk é um “ritmo musical” bastante popular no BRASIL Embora tenha surgido nos EUA, foi gradualmente se modificando dentro das periferias, misturando com outros estilos como Axé, Forró, Rap, Hip Hop, Freestyle e Miami Bass até se tornar o que temos hoje. Porém, mesmo sendo um estilo muito apreciado por jovens e adultos da era moderna, o funk se configurou como o lixo da cultura musical brasileira. A cultura brasileira nunca foi de fato uma cultura, mas uma mistura de costumes que se alinham as mudanças sociais do povo, de acordo com o lugar onde se encontra. O funk é um movimento que joga por terra qualquer definição cultural de música e acaba usando a banalização para fazer sucesso. No funk, os ritmos são repetitivos, as letras erotizadas e as danças bastante sensuais. E porque isso? Simplesmente porque reflete a vida e o local de quem canta. Que quero dizer com isso, que todos os que morram numa favela são imorais assim como as letras nos sugerem? Não, não é isso. Mas que as coisas que se cantam no funk estão enraizadas no cotidiano dessas pessoas. Embora o estilo tenha vindo dos morros, ganhou surpreendente força dentro dos centros urbanos do Brasil, sendo apreciado até mesmo por pessoas ricas. Basicamente isso ocorre por causa do arquétipo brasileiro (um homem “de bem com a vida”, que “pega” várias mulheres, que vive bebendo com os amigos e cantando sambas nos fins de semana nos bares etc. e mulheres com bumbum avantajados, “corpo violão”, pele morena etc.). Ou seja, uma população que se baseia em suprir diariamente seus prazeres. Uma sociedade estritamente hedonista e sexista. O funk se aproveita desse arquétipo e vai até mais fundo. Uma análise dos aspectos do funk se segue abaixo, para que possamos entender o porque o funk se configura como lixo da cultura brasileira.


O FUNK E A SEXUALIZAÇÃO DAS MULHERES
É sabido de todos que o funk brasileiro tem letras, danças e costumes que banalizam o sexo e promovem a desvalorização do gênero feminino. As letras chamam as mulheres de animais como “cachorra”, “potranca”, “égua”, as danças são quase sempre encenações de pornografia e os costumes que cercam o funk, como vestimentas curtas e claramente sensuais das dançarinas, as qualificações de “mulheres frutas” com conotação sexual, as constantes referências às partes íntimas do corpo feminino tem feito do funk um verdadeiro instrumento de manipulação sexual. A depravação é tal que as próprias mulheres se iludem com os embalos do funk, dançando e crendo que estão sendo valorizadas, mesmo que como objetos sexuais… Não se respeita a dignidade da mulher, não se dá verdadeiro valor às mulheres, somente as reduzem a meros objetos de satisfação sexual masculina. O que se conclui disso? Que o funk é um dos maiores promotores da promiscuidade. Só se tem aumento de gravidez na adolescência, de abortos e de doenças sexualmente transmissíveis entre os jovens porque o funk dá uma grande ajuda. Como o funk ajuda? Ora, o funk canta sexo. Sexo vende e atrai. Assim, o funk ajuda na proliferação da promiscuidade e deturpa a sexualidade. Logo, as meninas ficam tão acostumadas ao sexo explícito entoado nas letras que acabam aceitando aquilo como normal ou até mesmo trivial e os rapazes ardem de desejo ao verem as mulheres se exibirem e se banalizarem daquela forma, que daí para a cama é só um passo a mais. Resumindo: o funk dá uma idéia errada tanto da mulher quanto do sexo.
O FUNK E A VIOLÊNCIA
Algumas letras do funk exaltam as facções criminosas que agem dentro das favelas. Outras fazem referência direta ou indireta ao tráfico, à prostituição e à violência. Mas é nos bailes funk que a coisa fica de fato feia. Na maioria dos bailes dá alguma briga que podem ter vítimas fatais. Depois de beberem tanto e se exporem a violência e ao sensualismo nas letras, os participantes dos bailes funk costumam brigar entre si, que acaba desencadeando outras brigas e por fim, mortes, roubos, estupro e tráfico de drogas e armas. Assim, o funk estimula a violência e o tráfico.
O FUNK E A “CULTURA” BRASILEIRA
Como disse antes, o funk é o lixo cultural da música brasileira. E porque? Como se não bastassem as constantes referências sexualizadas da mulher e ao apoio a violência, as letras do funk não tem conteúdo algum. São letras vazias, sem nenhum tipo de criatividade, somente com repetições ridículas, erros de linguagem, alto nível de decibéis e mesmo ritmo de tom que extrapolam o bom senso. Eu diria que nem merece ser considerada música ou manifestação cultural (deveria se chamar infestação cultural). No entanto, um decreto do Governo do Rio de Janeiro em 2009 promoveu o funk a patrimônio artístico cultural carioca… E porque? Porque com o funk fica mais fácil controlar a população. Controle através do caos. E a mídia, como sempre, dando seu apoio… Até onde eu sei, nenhuma pessoa intelectual gosta de funk. Assim, o funk é um ritmo da ignorância de uma cultura que de fato não é cultura.

O FUNK E AS IGREJAS EVANGÉLICAS
Aqui chego numa parte que me causa revolta. A igreja evangélica tem aceitado diversos ritmos musicais afim de aumentar o número de fiéis. O funk não ficou de fora. Com o intuito de “louvar a Deus” tem sido feito diversas adaptações do funk e denominado “Funk Gospel”. Com os mesmos embalos, somente mudando as letras das músicas mas mantendo a mesma rima. Resultado, temos mais um lixo dentro das igrejas, já não bastassem as músicas absurdas que se cantam por lá. Colocaram funk gospel por simples razão: atrair multidões. Funk é o ritmo do momento, logo, nada melhor do que funk gospel para os crentes de rabo quente… Então, mais dízimos e ofertas… e mais pessoas no inferno… Um absurdo!
Não podemos tolerar mais esse lixo em nosso meio. O funk tem sido a devastação da população brasileira. Temos que mostrar ao povo que existem outras alternativas muito melhores de cultura e música. Mostrar que uma mulher não pode ser tratada como objeto sexual, que elas tem valor e dignidade! De lixo a sociedade brasileira está cheia! Basta!

Fonte de pesquisa
 Minha Opniao:
EU sei que cada um tem seu gosto, e nao estou aqui para critcar os gostos de cada um mas para mim funk e uma porcaria um lixo que deveria ser banido do planeta , e uma lavagen celebral que esta acabando com os jovens umas musicas sem cultura e sem sentido algum incitando a sexualidade precoçe e a violencia ,  o mundo ja esta complicado demais ainda vem ums demonios que fazem umas vamos dizer (musicas) se caso fosse isso mesmo e entra na mente das pessoas fracas que ainda nao tem defesa para esse tipo de coisa e (pa) ta la estragando a mente dela com porcarias , a funks boms sim eu ate de vez em quando esculto algum mas os Jovems hoje em dia so gostao dos funks que falao de morte, gerra, sexualidade e coisas que nao e construtivas para si proprios ritmos repetitivos e muita putaria , para mim funk a maioria deles deveriao ser proibidos ate de ser passados nas radios mas fazer o que , cada um faz ouve e usa o que gosta , so que graças a deus minhas filhas eu ensino elas a nao ouvir porcarias. e quando por acaso elas escutao eu falo e tento explicar a elas que isso nao presta que e um lixo de (musica) mas nao proibo mas tento dizer a elas que isso e uma coisa que vai estragar a vida delas um dia .


RESPEITO O GOSTO MUSICAL DE CADA PESSOA , DESCULPE POR MINHA OPNIAO AQUELES QUE SE SENTIRAO OFENDIDOS MAS CADA UM TEM O DIREITO DE SE ESPRESSAR E TER A SUA OPNIAO A RESPEITO DE QUALQUER ASSUNTO E A MINHA OPNIAO E DE MAIS DE 10,000,000,000,00 DE PESSOAS QUE O FUNK E UMA DESGRAÇA PARA A SOCIEDADE EM GERAL E UM LIXO QUE DEVERIA SER BANIDO DA CULTURA BRASILEIRA E MUNDIAL.E JOGADO NA:
ACIMA MINHA OPNIAO

AQUI ABAIXO OPNIAO DE OUTRAS PESSOAS(*)

(*)
Bom, o funk é a banalização da musica e da cultura brasileira, que estimula a desvalorização da mulher como ser humano. Reflete exatamente o caos que estamos vivendo em nossa sociedade brasileira. à medida que o dinheiro se torna cada vez mais valioso enquanto isso os bons valores vão sendo deixados em ultimo plano. Ai eu pergunto qual o proveito que tiramos todos nos de “musicas” que exaltam o caos da sociedade atual ? As musicas tem uma função educacional, no caso do funk, cumpre uma função de “des”educar, as pessoas, e isso se torna mais grave ainda se levarmos em consideração que até as crianças, por incentivo dessas maes que tem pessimo gosto musical tocam e curtem essas “musicas” em casa diante das crianças. Funk é um movimento antieducacional, não transmite bons hábitos, estimula a prostituição, inclusive entre as crianças, portanto é uma “musica” que gera o caos social no comportamento infantil e adolescente: Crianças despreparadas, precocemente fazendo sexo, abortos(crime contra a vida), e isso queima etapas na vida infantil e adolescente dessas pessoas,.
Quanto a solução para combater estes lixos culturais, teriam que ter várias ações, uma delas teria que começar de todos nos, a grande maioria, que detestamos porcarias de funk que “deseducam” as pessoas e as nossas crianças, futuro do pais:
Na TV,ou radio, mude de canal ou dial, imediatamente, quando virem ou ouvirem algo relacionado a essas musicas, colaborando para abaixar a audiencia, já que essas emissoras asquerosamente mercenárias, estão mais preocupadas com o ibope($) do que com a reconstrução de uma cultura mais saudável no pais. E manter no canal quando na tv passar musicas com conteudo decente, estimulando a tv a passar cada vez mais o que é de bom conteudo.
A apreciação do funk também tem a ver com mulheres que viram uma geração de mulheres, que foram frustradas sexualmente diante de várias proibições, e que diante dessa exagerada libertinalização ao sexo, ultrapassam os limites do bom senso. São “mulheres” sem noção, que acham que vale tudo para “liberar geral” achando que estão exorcizando a antiga repressão sexual feminina agindo desse jeito, quando na verdade elas estão desvalorizando o corpo feminino, e a elegancia feminina, ou seja se tornam mulheres sem classe, vulgares, que só despertam desejos nos homens que as querem faze-las de meros objetos sexuais descartáveis , colocando as no ultimo patamar da desvalorizaçao da mulher, mas elas pensam que estão abafando que são poderosas. Sinto muito pena delas, porque são vistas por todos os homens como meros objetos descartáveis. E é o que eu sempre digo: É a mulher quem demonstra com os seus atos, como ela quer que o homem a veja. Se ela for uma mulher sem classe e vulgar, isso despertará no homem a imagem de uma “mulher objeto descartável”, que se deve usar uma vez ou duas e “jogar fora”, pra pegar a proxima descartável !! Se ela for uma mulher de classe, com boa cultura, sem deixar de ser elegantemente sensual, ela vai ter uma imagem de deusa diante de inumeros homens, porque consegue ser sensual sem ser vulgar.
Exemplo: Mulher melancia ( dança truculenta, sem classe e vulgar)
Shakira (dança com classe e elegancia, e é sensualissima sem sem vulgar) Perguntem o que nós homens achamos dela.
Mariah Carey, dança sensualmente sem ser truculenta nos movimentos do corpo, não perde a elegancia e a classe feminina, e dança sensualmente sem ser vulgar. Ao mesmo tempo que se valoriza como mulher, também atrai todas as classes de homens, aos contrario da mulher melancia.
Essas duas mulheres, pelo seu estilo de se movimentar e dançar agrada a todas as classes de homens, alem de não passar a imagem de mulher objeto, mulher futil.
Já a mulher melancia, não agrada a todos os homens, porque há muitos homens que se enojam de mulheres muito vulgares não pelo corpo, mas pela forma vulgar como dançam. É verdade que a grande maioria deles apreciam a mulher melancia, mas como um objeto descartável. Já a postura das dançarinas sensuais nao vulgares, atraem os homens para algo mais sério como namoro, e não apenas como mais umazinha na coleção das que ele já comeu.
É fato incontestável, que mais homens vão apreciar e valorizar muito mais a mulher sensual do que a mulher vulgar. Ser vulgar, dançar funk é se desvalorizar como mulher diante dos homens, ser sensual e dancar com classe, é agradar a todas as classes de homens,com o bonus de não ser desvalorizada como mulher.
Funk promove a vulgaridade e desvalorização da mulher ao mais baixo nivel humano.
Mulheres temos exemplos mais eficientes de como atrair e ser atraentes aos homens sem serem tratadas como objetos descartáveis: É plenamente possivel ser elegante e ao mesmo tempo ser sensualíssima.
Mas é impossivel ter classe e elegancia, dançando truculentamente um funk, que me lembra um termo muito escroto é o mesmo movimento de um “tiaca tiaca na butchaca ! (rs)Isso é belo na intimidade a dois, agora na rua perante todos, sinceramente é muito escroto ver uma mulher fazer movimentos tão truculentos diante até de crianças.


Siga Me