Como nasceu o Facebook A Maior Rede Social De Todos os Tempos!

Miguel Sousa Tavares disse recentemente numa crónica da revista "GQ" que o Facebook "não passa de uma agência de engates onde uma multidão de solitários ou mal resolvidos se põe a jeito". Acertou em cheio. Aliás foi com essa finalidade que o Facebook nasceu. Mark Zuckerberg e Eduardo Saverin eram dois brilhantes universitários de Harvard. Só que, por muito interessante que a programação informática fosse, por muito fascinante que um computador ou algoritmo possa parecer, estes dois rapazes sentiam falta de mais qualquer coisa na vida.
Esse e o Cara, Miguel Sousa Tavares
Ser o maior a matemática, como Mark era, não chegava. Sem meias palavras: Mark e Eduardo queriam sexo. Só que, numa universidade cheia de regras sociais, de famílias de nome pomposo e tradições seculares de ostracismo social - além da absoluta inaptidão para comunicar com o sexo oposto - os dois amigos eram os cromos da faculdade. Foi então que Mark, numa das muitas noite solitárias que caracterizavam o seu percurso académico, se lembrou de criar uma base de dados de todas as alunas de Harvard - para uso exclusivo dos alunos da universidade, claro. Como era um génio da informática (que é um eufemismo para hacker), entrou sem problemas na rede da universidade e roubou fotografias e informações das estudantes. A brincadeira, que resultou numa quase expulsão da universidade, chamava-se Facemash.com.

Sexo, dinheiro e traição O que ele ainda não sabia era que tinha acabado de criar a base do Facebook, aquela que é actualmente a maior rede online do mundo. Em menos de duas horas teve 22 mil visitas e a brincadeira acabou por fugir do seu controlo. Mas Mark não desistiu. Com a ajuda financeira de Eduardo, cuja família era milionária, desenvolveu a ideia, dando-lhe objectivos mais ambiciosos do que meras pontuações a raparigas.
Miguel Sousa Tavares Criador do Facebook

O sucesso do Facebook, oficialmente lançado a 4 de Fevereiro de 2004, foi imediato e os dois amigos tinham finalmente concretizado o grande sonho: conhecer miúdas. É que toda a gente queria saber quem eram os responsáveis pela criação que viria a aproximar a humanidade, entreter trabalhadores aborrecidos e apresentar solteiros e solteiras ao mundo.

Esta história (verdadeira), com todos os pormenores e detalhes em discurso directo, é relatada por Ben Mezrich, escritor norte-americano. O livro chama-se "The Accidental Billionaires: Sex, Money, Betrayal and the Founding of Facebook" e foi lançado ontem nos EUA. Em 272 páginas o autor conta como dois rapazes solitários conseguiram triunfar na internet. Não sendo uma inovação, o Facebook ultrapassou toda a concorrência: Orkut, Hi5 ou My Space. Hoje, quem não está no Facebook, não existe. E tudo porque dois cromos de Harvard não conseguiam engatar.

Esta não é a primeira vez que Ben Mezrich relata as aventuras e desventuras de estudantes universitários. O filme "21 - Última Cartada", de 2008, é baseado na sua obra "Burning Down the House" e conta a história de seis estudantes do MIT treinados por um professor (Kevin Spacey) para se tornarem especialistas a contar cartas e assim ganhar milhões de dólares nos casinos de Las Vegas.

Entretanto, diz-se nos EUA que "The Accidental Billionaires" já está a ser adaptado ao cinema por Aaron Sorkin, autor de séries com "Os Homens do Presidente". A realização ficará a cabo de David Fincher, responsável pelo "Clube de Combate e "O Estranho Caso de Benjamin Button". A informação não foi confirmada pelo autor do livro... pelo que resta esperar. Até lá, há sempre a obra escrita e até pode partilhar no Facebook a que páginas anda.


Fonte de Pesquisa (l)

Historia e Fatos
Facebook é um site e serviço de rede social e lançado em fevereiro de 2004, operado e de propriedade privada da Facebook Inc..[3] Em fevereiro de 2012, o Facebook tinha mais de 845 milhões de usuários ativos.[4] Os usuários devem se registrar antes de utilizar o site, após isso, podem criar um perfil pessoal, adicionar outros usuários como amigos e trocar mensagens, incluindo notificações automáticas quando atualizarem o seu perfil.
O Facebook foi fundado por Mark Zuckerberg e por seus colegas de quarto da faculdade Eduardo Saverin, Dustin Moskovitz e Chris Hughes.[5] A composição do site foi inicialmente limitada pelos fundadores aos estudantes da Universidade de Harvard, mas foi expandida para outras faculdades na área de Boston, da Ivy League e da Universidade de Stanford. O site gradualmente adicionou suporte para alunos em várias outras universidades antes de abrir para estudantes do ensino médio e, eventualmente, para qualquer pessoa com 13 anos ou mais. No entanto, com base em dados de maio de 2011 do ConsumersReports.org, existiam 7,5 milhões de crianças menores de 13 anos com contas no Facebook, violando os termos de serviço do próprio site.[6]
Um estudo de janeiro de 2009 do Compete.com classificou o Facebook como a rede social mais utilizada em todo o mundo por usuários ativos mensais.[7] A Entertainment Weekly incluiu o site na sua lista de "melhores de", dizendo: "Como vivíamos antes de perseguirmos os nossos ex-namorados, lembrarmos dos aniversários dos nossos colegas de trabalho, irritarmos os nossos amigos e jogarmos um jogo empolgante de Scrabulous antes do Facebook?"[8] A Quantcast estima que o Facebook teve 138,9 milhões de visitantes únicos mensais nos Estados Unidos em maio de 2011.[9] De acordo com o Social Media Today, estimava-se que em abril de 2010 cerca de 41,6% da população americana tinha uma conta no Facebook.[10] No entanto, o crescimento de mercado do Facebook começou a estabilizar em algumas regiões, sendo que o site perdeu 7 milhões de usuários ativos nos Estados Unidos e no Canadá em maio de 2011.[11] O Facebook entrou com pedido de uma oferta pública inicial em 1 de fevereiro de 2012.[12]

Funcionamento

 O website é gratuito para os usuários e gera receita proveniente de publicidade, incluindo banners, destaques patrocinados no feed de notícias[13] e grupos patrocinados (cujas cotas seriam de mais de 1,5 milhão de dólares por semana em abril de 2006, segundo rumores).[14] Usuários criam perfis que contêm fotos e listas de interesses pessoais, trocando mensagens privadas e públicas entre si e participantes de grupos de amigos. A visualização de dados detalhados dos membros é restrita para membros de uma mesma rede ou amigos confirmados. De acordo com o TechCrunch, 85% dos membros dos colégios suportados têm um perfil cadastrado no website e, dentre eles, 60% fazem login diariamente no sistema, 85% o faz pelo menos uma vez por semana e 93% o faz pelo menos uma vez por mês. De acordo com Chris Hughes, porta-voz do Facebook, as pessoas gastam em média 19 minutos por dia no Facebook.[14] Em um estudo conduzido em 2006 pela Student Monitor, uma empresa especializada em pesquisas de mercado relacionadas a estudantes universitários de Nova Jérsei, Facebook foi o segundo nome mais "in" entre os estudantes, empatado com cerveja e sexo e perdendo apenas para iPod

A decisão do Facebook de remover algumas fotos de amamentação enraiveceu alguns usuários, entre os quais a estadounidense Kelli Roman, mãe que teve uma foto que a mostrava alimentando a filha removida pelo Facebook.

Roman é uma das administradoras de uma petição online intitulada "ei, Facebook, amamentação materna não é obscenidade", que foi ganhando mais força, depois das manifestantes organizarem uma "amamentação de protesto" no Facebook e realizaram uma pequena manifestação diante da sede da empresa, em Palo Alto, Califórnia.
Roman é uma das administradoras de uma petição online intitulada "ei, Facebook, amamentação materna não é obscenidade", que foi ganhando mais força, depois das manifestantes organizarem uma "amamentação de protesto" no Facebook e realizaram uma pequena manifestação diante da sede da empresa, em Palo Alto, Califórnia.
A petição já obteve mais de 80 mil assinaturas e mais de 10 mil comentários, e redespertou um velho debate sobre os prós e os contras da amamentação em locais públicos.

História

Mark Zuckerberg, co-fundador e CEO do Facebook
Mark Zuckerberg fundou, juntamente com o Brasileiro Eduardo Saverin e os americanos Dustin Moskovitz e Chris Hughes, o "The Facebook" em fevereiro de 2004, enquanto frequentava a Universidade de Harvard, com o apoio de Andrew McCollum e Eduardo Saverin. Até o final do mês, mais da metade dos estudantes não-graduados em Harvard foi registrada no serviço. Naquela época, Zuckerberg se juntou a Dustin Moskovitz e Chris Hughes para a promoção do site e o Facebook foi expandido à Universidade de Stanford, à Universidade Columbia e à Universidade Yale.[16] Esta expansão continuou em abril de 2004 com o restante das Ivy League, entre outras escolas. No final do ano letivo, Mark e Dustin se mudaram para Palo Alto, Califórnia, com Andrew que havia conseguido um estágio de verão na Electronic Arts. Eles alugaram uma casa perto da Universidade de Stanford, onde se juntaram a Adam D'Angelo e Sean Parker. Andrew McCollum decidiu deixar a EA para ajudar em tempo integral no desenvolvimento do Facebook e do site "irmão" Wirehog. Em setembro, Divya Narendra, Cameron Winklevoss e Tyler Winklevoss, proprietários do site HarvardConnection, posteriormente chamado ConnectU, entraram com uma ação judicial contra o Facebook alegando que Mark Zuckerberg teria utilizado código fonte ilegalmente do HarvardConnection, do qual ele tinha acesso. A ação não procedeu.[17][18] Também nessa altura, o Facebook recebeu aproximadamente $500,000 do co-fundador do PayPal Peter Thiel, como um angel investor. Em dezembro a base de usuários ultrapassou 1 milhão.

2005

Em maio de 2005, o Facebook recebeu 12,8 milhões de dólares de capital da Accel Partners.[19] Em 23 de agosto de 2005, o Facebook compra o domínio facebook.com da Aboutface por $200,000 e descarta definitivamente o "The" de seu nome. A esta data, o Facebook foi "repaginado" recebendo uma atualização que, segundo Mark, deixou mais amigável aos usuários. Também neste mês, Andrew McCollum retornou a Harvard, mas continuou atuando como consultor e retornando ao trabalho em equipe durante os verões. Como antes, Chris Hughes permaneceu em Cambridge, enquanto exercia sua função como representante da empresa. Então, em 2 de setembro, Mark Zuckerberg lançou a interação do Facebook com o ensino secundário. Embora inicialmente definido para separar as "comunidades" para que os usuários precisassem ser convidados para participar, dentro de 15 dias as redes escolares não mais exigiam uma senha para acessar (embora o cadastro no Facebook ainda exigisse). Em outubro, a expansão começou a atingir universidades de pequeno porte e instituições de ensino pós-secundário (junior colleges) nos Estados Unidos, Canadá e Reino Unido, além de ter expandido a vinte e uma universidades no Reino Unido, ao Instituto Tecnológico y de Estudios Superiores de Monterrey no México, a Universidade de Porto Rico em Porto Rico e toda a Universidade das Ilhas Virgens nas Ilhas Virgens Americanas. Em 11 de dezembro de 2005, universidades da Austrália e Nova Zelândia aderiram ao Facebook, elevando sua dimensão para mais de 2 mil colégios e mais de 25 mil universidades em todo o Estados Unidos, Canadá, México, Reino Unido, Austrália, Nova Zelândia e Irlanda.[20]

2006

Em 27 de fevereiro de 2006, o Facebook passou a permitir que estudantes secundaristas adicionassem estudantes universitários a pedido dos usuários. Um mês depois, em 28 de março, a revista BusinessWeek noticia que uma potencial aquisição estava em negociação. O Facebook declaradamente recusou uma oferta de $750 milhões, e estimou seu preço em $2 bilhões.[21] Em abril, Peter Thiel, Greylock Partners e Meritech Capital Partners investiram um adicional de $25 milhões no site.[22] Em maio, a rede do Facebook se expandiu à Índia, no Instituto Indiano de tecnologia (IIT) e no Instituto Indiano de gestão (IIG). No mês seguinte, o Facebook ameaçou pedir até $100,000 ao Quizsender.com por violação de direitos autorais por copiar a ferramenta "visual e sensação" do Facebook.[23][24] Em 25 de junho, novos recursos foram adicionados ao site para potencialmente atrair receitas adicionais. Foi feita uma promoção em parceria com a iTunes Store onde membros da Apple Students iriam receber gratuitamente 25 músicas de amostra em vários gêneros musicais por semana até 30 de setembro. A promoção propunha deixar os estudantes mais entusiasmados e familiarizados com os serviços.[25] Em meados de agosto, o Facebook adicionou universidades na Alemanha e colégios em Israel à sua rede. Em 22 de agosto o Facebook introduz o Facebook Notes, um recurso de blog com sistema de tags, imagens embutidas, entre outros recursos também permitindo a importação dos serviços de blogs Blogger, Xanga e LiveJournal. Este recurso ganhou posteriormente a possibilidade de comentar as postagens comuns nos sistemas "concorrentes". Em 11 de setembro o Facebook foi aberto para cadastro para todo o público.[26]

2007

Em 10 de maio de 2007, o Facebook anuncia um plano para adicionar classificados grátis em seu website.[27] Este recurso ganhou vida em 14 de maio e foi chamado Facebook Marketplace. Também em maio, o Facebook lança sua API, chamada Facebook Plataform, para desenvolvimento de aplicações para serem usadas no site.[28] Em junho, a parceria com a iTunes Store foi continuada oferecendo amostras de músicas grátis para o grupo Apple Students. Em julho o Facebook anuncia sua primeira aquisição: Parakey, Inc, de Blake Ross e Joe Hewitt. Em agosto, a companhia foi capa da edição especial anual "College" da Newsweek.[29] Em 25 de setembro surge um rumor de que a Microsoft teria interesse em comprar parte do Facebook;[30] rumor este confirmado um mês depois com a compra de 1.6% do Facebook por $240 milhões.[31] Uma venda completa do Facebook é no momento, improvável, diz Mark Zuckerberg. Em 7 de novembro de 2007, o Facebook anuncia o Facebook Ads, uma iniciativa de marketing que inclui um sistema de sites parceiros para permitir aos usuários compartilhar informações sobre suas atividades neles com amigos no Facebook (Facebook Beacon);[32] a possibilidade de empresas hospedarem páginas no Facebook de várias marcas, produtos e serviços (Facebook Pages); um sistema de veiculação de anúncios baseado no perfil do usuário e de seus amigos e em dados de atividade (Facebook Social Ads); e um serviço de fornecimento de publicidade com empresas fornecendo dados analíticos incluindo métricas de desempenho (Facebook Insights). No que diz respeito à privacidade, o Facebook afirma que "nenhuma informação pessoal identificável é partilhada com o anunciante ao criar a Social Ad" e que "usuários do Facebook apenas verão os Social Ads à medida que os amigos compartilharem informações com eles".[33] O Facebook Ads substitui o programa anterior Facebook Flyers[34] Em 30 de novembro de 2007 o bilionário chinês Li Ka-Shing investe $60 milhões no Facebook.

2010

Em 18 de maio de 2010, o Facebook juntamente com a operadora de celular TIM do Brasil, lançaram o serviço de acesso grátis ao site 0.facebook.com através do próprio aparelho celular. Apesar do serviço ser grátis para todos os planos como Pré e Pós-pago, o serviço causou muitos transtornos por estar fazendo cobranças indevidas aos usuários Pré-pagos.[35] Em 2010 o Facebook cresceu 258% no Brasil, 28% do Orkut.[36] A população brasileira na internet saltou de 33,3 milhões em 2009 para 40 milhões em 2010, segundo os dados da comScore, fazendo do Brasil o 8º país com o maior número de internautas no mundo.[37] Em abril de 2010, 41,6% da população americana tinha uma conta no Facebook. No entanto, o crescimento de mercado do Facebook começou a estabilizar em algumas regiões, sendo que o site perdeu 7 milhões de usuários ativos nos Estados Unidos e no Canadá em maio de 2011.

2011

Novo Design do Facebook(Linha do Tempo).
Em Fevereiro de 2011,[38] o Facebook criou o aplicativo Calendário para marcar eventos, permitindo a extração de dados para usuários dos próprio calendário ou aplicativos de mapeamento. Desde Abril de 2011 [39]os usuários do Facebook tiveram a capacidade de fazer chamadas de voz ao vivo via Facebook Chat, que permite aos usuários conversar com outras pessoas de todo o mundo. Esse recurso, que é fornecido gratuitamente através do serviço novo T-Mobile Bobsled, permite ao usuário adicionar voz ao Chat do Facebook atual, bem como deixar mensagens de voz no Facebook. Em 6 de julho de 2011, o Facebook lançou seus serviços de chamadas de vídeo usando o Skype como seu parceiro tecnológico. Ele permite transmissão de vídeo da Webcam de um usuario para o Facebook do outro(Virse-Versa). Em 14 de setembro de 2011, [40]o Facebook lançou um botão Assinar. O recurso permite aos usuários acompanhar as atualizações públicas de seus amigos.Em junho de 2011 o Ministério da Justiça do Brasil cobrou esclarecimentos sobre a ativação do serviço de reconhecimento facial, devido à exposição inadequada que isto pode gerar aos usuários.[41] A empresa também foi processada pela Timeline, por conta do uso indevido da marca.[42]. Em julho de 2011, autoridades da Alemanha começaram a discutir a proibição de eventos marcados pelo site. A decisão está baseada em diversos casos de superlotação ou recepção de pessoas não convidadas a eventos particulares.[43][44] No evento do 16º aniversário de uma garota em Hamburgo, que foi acidentalmente configurado como público, 1500 "convidados" compareceram à festa, e após relatos de distúrbios na sobrelotação, mais de uma centena de policiais tiveram de ser destacados para controlar a multidão. Um policial ficou ferido e onze participantes foram detidos por agressão, danos materiais e resistência às autoridades.[45] Em outro evento com superlotação inesperada, 41 jovens foram detidos e pelo menos 16 ficaram feridos.[46]
Ocorreu uma brecha na segurança do Facebook permitiu que vazassem na Internet fotos que Mark Zuckerberg configurou como sendo privadas.[47][48][49] As imagens mostram Zuckerberg cozinhando, recebendo amigos e dormindo com o cachorro.

2012

Você vai poder ouvir música ao vivo com seus amigos dentro Facebook (Foto: Reprodução)
Em 29 de Fevereiro Facebook lança linha do tempo para Fan Pages
Em 12 de Janeiro de 2012 Facebook lança a funcionalidade que permitirá que você escute uma música que o seu amigo está ouvindo. A nova função estará disponível para todos os usuários em breve[55].
Facebook, anunciou que a nova ferramenta que permite que o usuário escute uma música que seu amigo esteja escutando ao mesmo tempo Também é possível escutar a mesma música em um grupo, permitindo que seu amigo brinque de DJ[56]. Quando seu amigo estiver escutando uma música, uma nota musical aparecerá ao lado do seu nome. Para escutar a música, basta apenas você clicar no nome do seu amigo, que aparecerá uma janela com um botão escrito “Listen with”(escute com em português), clique no botão e você ouvirá música com seu amigo, como mostra a figura acima . Além de escutar você poderá comentar sobre a música

 Mural

O Mural é um espaço na página de perfil do usuário que permite aos amigos postar mensagens para ele ver. Ele é visível para qualquer pessoa com permissão para ver o perfil completo, e posts diferentes no mural aparecem separados no "Feed de Notícias". Muitos usuários usam os murais de seus amigos para deixar avisos e recados temporários. Mensagens privadas são salvas em "Mensagens", que são enviadas à caixa de entrada do usuário e são visíveis apenas ao remetente e ao destinatário, bem como num e-mail. Em julho de 2007 o Facebook, que só permitia posts de textos, passou a permitir postagem de anexos no mural.[60]

Presentes

Em fevereiro de 2007 o Facebook adicionou um novo recurso de Presentes ("Gifts") em seu site. Amigos podem dar Presentes — pequenas imagens desenhadas por Susan Kare, ilustradora que desenha os ícones da Apple — a outros escolhendo um da Loja de presentes virtuais do Facebook e adicionando uma mensagem.Os ´´Presentes`` dados aparecem no mural de outros usuários com a mensagem enviada, a menos que o doador queira dar o presente´' privadamente, nesse caso o nome do doador e a mensagem não são exibidos aos outros usuários. Além disso, todas os presentes, incluindo os privadas, são exibidas em uma caixa no perfil chamada "Caixa de presentes(Gift box)", junto do nome do doador ou da palavra "Privado" para presentes privados.
Assim que se registram no site, os usuários do Facebook ganham uma Presente gratuito para dar a quem quiser. Cada presente adicional pode ser comprado na Loja de presentes virtuais do Facebook por 1 dólar. A primeira seleção de presentes disponíveis teve como tema o dia dos namorados e 50% da receita líquida recebida em fevereiro de 2007 foi doada à instituição de caridade Susan G. Komen for the Cure. Após fevereiro, a doação deixou de ser feita. Pouco depois, o Facebook passou a disponibilizar novos presentes a cada dia, a maioria das quais tinham quantidade limitada de tempo e venda.
Com a chegada das "Aplicações", surgiu uma nova forma de presentear com os presentes sem a necessidade de se pagar 1 dólar, porém, as da aplicação "Presentes gratuítos", criadas por Zachary Allia,[61] não são semelhantes às oficiais, além de serem exibidas de maneira diferente.

Marketplace

Em maio de 2007, o Facebook introduziu o "Facebook Marketplace", permitindo aos usuários publicar classificados gratuitamente dentro das seguintes categorias: For Sale (à venda), Housing (imoveis), Jobs (emprego) e Other (outros); e podem ser postados em diferentes formatos.[62]

Cutucar / Toque

O Facebook adicionou um recurso chamado "Cutucar" (Brasil) ou "Toque" (Portugal) (em inglês Poke) para que os usuários enviem "cutucadas" uns aos outros. Segundo o FAQ do Facebook, uma cutucada é "uma forma de você interagir com seus amigos no Facebook. Quando criamos o cutucar, nós achamos que seria legal ter um recurso sem qualquer finalidade específica. As pessoas interpretam a cutucada em muitas maneiras diferentes, e nós encorajamos que você venha com seu próprio significado". A princípio, ele se destina a servir como uma forma de atrair a atenção de outro usuário. No entanto, muitos usuários utilizam-o como uma forma de dizer "Olá",[14] e alguns como uma "investida sexual".[63] Há muitas aplicações, tais como "X Me" e "SuperPoke!", que permitem ao usuário enviar qualquer ação no lugar da palavra "poke".

Status

O recurso "Status" permite aos usuários informar a seus amigos e a membros de sua comunidade coisas que acha intereressante, como vídeos, fotos e links. Atualizações de Status estão disponíveis na sessão "Recently updated" (Atualizações recentes) de toda sua lista de amigos.

Eventos

Os "Eventos" são uma maneira para que os membros informem seus amigos sobre os próximos eventos em sua comunidade, para organizar encontros sociais ou simplesmente para dizer o que está sentindo no momento.[64]

Aplicativos

Em 24 de maio de 2007, o Facebook lança o "Facebook Plataform",[65] na qual prevê o framework para desenvolvedores criarem aplicações que interajam com os recursos internos do Facebook. Até jogos como xadrez e scrabble estão disponíveis. Em 5 de dezembro de 2007, mais de 10 000 aplicações já estavam disponíveis.[66] Em 4 de julho de 2007 surge a Altura, primeira empresa do mundo de capital de risco voltada ao Facebook. Em 29 de agosto de 2007, o Facebook alterou a forma com que a popularidade das aplicações são medidas a fim de dar mais atenção às aplicações mais envolventes, seguindo críticas de que um ranking de aplicações apenas por número de usuários gerava vantagem para as absolutamente virais.[67]

Facebook Video

Enquanto o Facebook lançava sua plataforma, ele também lançou uma aplicação [68] onde se pode partilhar vídeos dentro do Facebook. Os usuários podem adicionar vídeos por meio de um arquivo do computador, adicionando diretamente do telefone celular através do "Facebook Móvel" ou utilizando um recurso de gravação direta de uma webcam. Além disso, pode-se "taggear" seus amigos nos vídeos. Este recurso surgiu devido à concorrência com o MySpace. No entanto, o Facebook Video não permite compartilhar vídeos fora do Facebook nem baixar ou exportar os vídeos enviados. Para suprir a necessidade de baixar os vídeos, um texto para Greasemonkey publicado no Userscripts.com, cumpre esta função.

Facebook Móvel Grátis

Em 2010, o Facebook juntamente com a operadora de celular TIM do Brasil, lançaram o serviço de acesso grátis ao site 0.facebook.com através do próprio aparelho celular. Apesar do serviço ser grátis para todos os planos como Pré e Pós-pago, o serviço causou muitos transtornos por estar fazendo cobranças indevidas aos usuários Pré-pagos.

 Fonte de Pesquisas creditos e Direitos autorais

Siga Me