Tem gosto ruim, fede e custa caro! Por que fumamos cigarro?


 Tem gosto ruim, fede e custa caro! Por que fumamos cigarro?

Quem fuma cigarros, geralmente, fede nicotina e alcatrão (desodorante, perfume e cremes ajudam, mas não fazem milagres), não tem hálito fresco (olha o bafo!), tem dentes amarelados (ou fazem constantes clareamentos), língua áspera (beijo de lagarto) e sempre acendem um cigarro quando poderiam estar fazendo qualquer outra coisa (Transtorno Obssessivo Compulsivo).
O maço de cigarros, atualmente, custa quase R$ 5,00. Se você fuma um maço por dia, no final do mês estará quase R$ 150,00 mais pobre!
Além destes pontos, ainda há a saúde, mas parece que nenhum fumante se preocupa com isto, senão não compraríamos um maço de cigarros com as photoshopadas imagens abaixo:

Eu confesso que as vezes chego a escolher na banca: “Pode ser qualquer um, menos aquele do pé. Eu prefiro o maço que tá escrito MORTE, o que parece ter uma gravatinha vermelha amarrada no peito, por favor!
Uma amiga sempre pede o PERIGO, ela é fã de filmes sobre zumbis.
Uma certa atitude de glamour e rebeldia sempre esteve associada ao cigarro nas propagandas, mundo cinematográfico e da moda. Neste último, inclusive, já está bem saturada e clichê… uma pena que a gente ainda absorva estas influências, além da fumaça ;)
Você já pode ter conhecido alguém ao pedir ou emprestar um isqueiro ou cigarro, acabaram se beijando e tudo mais, mas no caso vocês dois eram fumantes e nem mesmo sentiram o gosto de cinzeiro um da boca do outro. Ok, pode até ter rolado um gostinho de hortelã do chiclete de fundo, mas o cheiro e gosto de cigarro ainda estavam lá. To sendo chato? Sim, mas pergunte pra um não fumante se ele acha agradável beijar alguém que fume. A gente perde pontos, com certeza!
Eu parei de fumar por três anos, aconteceu naturalmente, acordei um dia sem vontade e recentemente, por alguma bobagem inexplicável, voltei a fumar aos poucos. Percebi isso quando os amigos começaram a recusar os meus pedidos de um cigarro “emprestado”:
- Ah, Felippe! De novo não, admita que você voltou a fumar e compre o seu próprio maço! O meu isqueiro ficou com você?

Amigos tem licença poética para serem sinceros na mesa do bar, gritando uma frase desta com um sorriso no rosto e buscando a aprovação do restante da mesa. No final, enquanto acendia o cigarro que acabou me sendo emprestado, decidi novamente (porque tem que ser todo dia) que vou parar de fumar.

fonte de Pesquisa e Direitos da Pesquisa: (1)
Modaparahomens.Virgula.Uol.com.Br
 NICOTINA
A nicotina age sobre os receptores nicotínicos de acetilcolina. Em pequenas quantidades, estimula estes, o que causa uma libertação de adrenalina e emoção. Em grandes quantidades, bloqueia-os, sendo esta a causa da sua toxicidade e eficácia como insecticida.
O seu efeito, quando consumida como tabaco, manifesta-se de duas maneiras distintas: tem um efeito estimulante e, após algumas tragadas profundas, tem efeito tranquilizante, bloqueando o stress. Seu uso causa dependência psíquica e física, provocando sensações desconfortáveis na abstinência. Em doses excessivas, é extremamente tóxica: provoca náuseas, dor de cabeça, vômitos, convulsão, paralisia e até a morte. A dose letal (LD50) é de 0,4 mg/kg em adultos.[1]
Na indústria, é obtida através de toda a planta Nicotiana tabacum, e é utilizada como um inseticida respiratório (na agricultura) sob a forma de sulfato de nicotina e vermífugo (na pecuária). Pode ainda ser convertido para o ácido nicotínico e, então, ser usado como suplemento alimentar.
A nicotina, presente no tabaco, também está associada à redução da ingestão alimentar e peso por meio da ativação, no hipotálamo, de um grupo de neurônios que controlam a saciedade.[2] Por isso, muitos fumantes resistem em largar o vício.[2]
Dados estatísticos indicam que há uma clara correlação entre o número de cigarros fumados diariamente e o risco de morte por câncer no pulmão e doenças cardiovasculares. De acordo com a American Cancer Society, "...mais pessoas morrem todos os dias por doenças relacionadas ao fumo do que por AIDS, álcool, acidentes de carro, incêndios, drogas, assassinatos e suicídios juntos." Numerosos estudos comprovam que o consumo de tabaco causa diversos males à saúde, mas, mesmo assim, todos os dias milhares de jovens e adolescentes começam seu caminho à dependência química da nicotina. Embora existam muitos centros de apoio à recuperação dos drogados (muitos mesmo na internet), e uma enorme campanha educativa para a prevenção ao vício, o número de fumantes não diminui com o passar dos anos. As pessoas assumem, conscientemente, o risco real de contrair inúmeros males, tanto pelo efeito de dependência criado pelo tabaco como por vontade própria.

A nicotina no cérebro

 

No exemplar de 22 de setembro de 1995 da revista Science, pesquisadores do Columbia-Presbyterian Medical Center publicaram um artigo revelando o mecanismo de ação da nicotina no SNC.
Eles identificaram um novo receptor, chamado de receptor nicotínico, que leva esse nome por ser ativado pela nicotina. Este receptor, normalmente, ativa-se com acetilcolina, mas na presença de nicotina é ativado também por esta.
A nicotina induz a liberação do neurotransmissor glutamato, que é um neurotransmissor excitatório envolvido na plasticidade sináptica sendo esta uma das possíveis causas para o efeito da nicotina em melhorar a memória (normalmente não pela forma de tabaco, o que reduz a oxigenação cerebral).[3]
Cancer provocado Por Cigarro
O vicio do tabaco é causado pelo aumento de dopamina nos circuitos de recompensa do cérebro tal como nas outras drogas viciantes, actualmente põe-se a hipótese que outros compostos no fumo do tabaco que não a nicotina sejam inibidores da Monoamina Oxidase (MAO), que é a enzima responsável pela degradação da dopamina no cérebro, incluindo no circuito de recompensa.[4]
Dois anos mais tarde, dois cientistas do National Institute of Environmental Health Sciences, em Washington D.C., descobriram que estes receptores, no hipocampo, estão associados aos processos de aprendizado e memória. Os cientistas também elaboraram um mecanismo molecular que pode ajudar a explicar algumas patologias, como algumas formas de epilepsia, doenças de Alzheimer e Parkinson, dependência de nicotina e depressão. Seu trabalho foi publicado, em 1997, no Journal of Physiology.

As ações da nicotina se fazem fundamentalmente através do sistema nervoso autônomo. Ocorre uma resposta bifásica, em geral com estímulo colinérgico inicial, seguido de antagonismo dependendo das doses empregadas. Pequenas doses de nicotina agem nos gânglios do sistema nervoso autônomo, inicialmente como estímulo à neurotransmissão e, subseqüentemente, como depressor. O uso de altas doses de nicotina tem rápido efeito estimulante seguido de efeito depressor duradouro possivelmente tóxico.


FONTE DE PESQUISA E DIREITOS AUTORAIS(2)
wwkipedia.org

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Siga Me